Mais informaçoes: info@speco.pt

À procura de uma economia mundial sem carbono até 2050

Martin Siegert estará em Lisboa para uma conferência organizada pela SPECO - Sociedade Portuguesa de Ecologia

Martin Siegert estará na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, no dia 6 de Dezembro, para uma palestra com o título "Delivering a world-wide zero carbon economy by 2050" (À procura de uma economia mundial sem carbono até 2050). 

Martin Siegert é Co-Director do Grantham Institute for Climate Change & Environment desde 2014. Anteriormente, desempenhou o cargo de Director do Centro de Glaciologia de Bristol, da Universidade de Bristol, onde é agora professor convidado, e de Coordenador do Departamento de Geociências da Universidade de Edimburgo, onde é agora professor honorário. Coordenou o Lake Ellsworth Consortium, que concebeu uma forma de explorar um grande lago subglacial localizado debaixo do gelo da Antárctida Ocidental. Participou em 3 expedições à Antárctida, onde se dedicou à aplicação de métodos geofísicos para avaliar as zonas subglaciares e assim perceber o que nos dizem acerca das alterações passadas do continente. Em 2013, foi galardoado com o Prémio Martha T. Muse, pela excelência de investigação e desenvolvimento de políticas para a Antárctida.

A conferência é promovida pela Embaixada Britânica e organizada pela SPECO em parceria com a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

 

Mais informações: https://www.facebook.com/events/2385033084956143/

 

Interesses em investigação (em inglês):

The aim of Martin's research is to understand the sensitivity of the Antarctic ice sheet to global warming, and to predict its impact on future sea-level change. To do this, he uses numerical ice-sheet modelling to quantify ice flow processes, allowing predictive assessments of change and reconstructions of past events. Ice-sheet modelling requires boundary conditions in the form of basic ice-sheet measurements (such as ice surface and bed elevations), and information that can be used to assess the reliability of output. To these ends geophysical measurements of the ice sheet are essential, and form a substantial component of his research activity. He has undertaken measurement and modelling investigations in both East and West Antarctica, focusing on potential vulnerable margins where existing knowledge is poor (or non-existent). He also leads research on the exploration of the subglacial system, to comprehend ice-sheet and biogeochemical processes and extract records of past ice-sheet changes.