Um olhar sobre o sobreiro e a sua história evolutiva - A entrevista a Francisco Pina Martins

Francisco Pina-Martins, primeiro lugar no Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias 2019

O que terá Francisco Pina-Martins a dizer sobre o seu trabalho (e não só!)? A SPECO quis saber a opinião do vencedor do primeiro lugar no Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias 2019. 

Francisco Pina-Martins é Professor assistente da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e investigador no grupo de Biologia Computacional e Genómica Populacional do cE3c - Centro de Ecologia, Evoulção e Alterações Ambientais. É ainda Professor adjunto convidado no Instituto Politécnico de Setúbal. Os seus interesses de investigação recaem sobre  as áreas de Biologia Evolutiva, Bioinformática e Biologia Computacional, com foco especial na«a detecção de seleção natural, desenvolvimento de software científico e sequenciação de nova geração, bem como na utilidade destas disciplinas na resolução de problemas do contexto ecológico. Francisco admite estar sempre à procura de novos desafios nestas áreas, ou de novos métodos que exijam uma implementação.

Monitorização bioacústica dos morcegos da Amazónia - A entrevista a Adrià López Baucells

Adrià López Baucells, segundo lugar no Prémio de Doutoramento em Ecologia 2019

Adrià López-Baucells esteve à conversa com a SPECO após ter sido galardoado com o segundo lugar no Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias 2019.

Adrià concluiu seu doutoramento na Universidade de Lisboa em Novembro de 2018. O seu estudo focou-se nos impactos a longo prazo da fragmentação das florestas em comunidades de morcegos insetívoros, através do uso de detectores autónomos de morcegos nas florestas da Amazónia (Brasil). Dedica-se principalmente à investigação e conservação de morcegos, e sua principal área de interesse é a exploração da 'paisagem sonora' para estudar e promover o uso sustentável da Terra e a conservação de morcegos em todo o mundo. Trabalha desde 2005  no Bat Research Group, Museu de Ciências Naturais de Granollers (Catalunha, Espanha). Desde então, colabora em vários projetos de telemetria, seleção de habitat, biogeografia, comportamento e migração, entre outros tópicos, que compõem a sua formação enquanto investigador na área da ecologia aplicada, cujos modelos de estudo são os morcegos. Em 2010, concluiu a sua licenciatura em Biologia na Universidade de Barcelona, ​​com um projeto final sobre morcegos neotropicais na Colômbia. Depois, saltou para Sydney (Austrália) para realizar a sua tese de mestrado em ecologia comportamental competitiva e fisiologia com raposas voadoras e, seguindo depois para o Brasil para dar início ao doutoramento. Mais recentemente, fez parte de várias expedições e projectos relacionados com morcegos no Reino Unido, norte da África, Quénia e Madagáscar. Paralelamente, tem-se mostrado bastante activo no ensino, particulamente a leccionar cursos de campo em Bornéu, Tailândia e Espanha. Atualmente, é consultor científico do acordo Eurobats (UNEP) da Espanha, participa em vários projetos internacionais relacionados com morcegos (por exemplo, projecto COST-Action Bats and Climate Change) e é editor-chefe do Journal of Bat Research & Conservation.

As áreas marinhas protegidas e a sua coerência ecológica - A entrevista a Inês Gomes

A entrevista a Inês Gomes, vencedora do terceiro lugar no Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias 2019

A SPECO falou com Inês Gomes, vencedora do terceiro lugar no Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias 2019. Inês é actualmente Consultora da Direcção Regional dos Assuntos do Mar nos Açores.

Nascida em Faro, mas com uma tendência natural para a insularidade, estudou e trabalhou nas ilhas Canárias, Cabo Verde, no frio da Lituânia, no calor da ilha de Wasini (Quénia) e reside actualmente no Faial, Açores. Licenciada em Medicina Veterinária pela Universidade Técnica de Lisboa, Mestre em Biodiversidade e Conservação Marinha (pelas Universidades do Algarve e Ghent), realizou a sua tese de Mestrado no sul do Quénia com os pescadores artesanais na reserva de Mpunguti. O seu doutoramento, integrado no programa europeu MARES Erasmus Mundus de Conservação do Ecossistema Marinho (Universidade do Algarve e Universidade de Ghent), focou-se na avaliação da coerência ecológica de Áreas Marinhas Protegidas (AMPs) utilizando múltiplas abordagens para analisar a localização, tamanho e espaçamento entre áreas, entre a Arrábida e as Berlengas.

Entuasiasta de temas de conservação e gestão do oceano, com particular interesse em AMPs e seus efeitos nas comunidades marinhas e humanas, trabalhou com pescadores, no sector do ecoturismo, em investigação e actualmente exerce funções junto da administração regional no aconselhamento técnico para a gestão e conservação dos ecossistemas. Gosta de viajar, de basket, jardinagem, do mar e de trabalhar com pessoas que valorizam a ciência, a criatividade e uma boa gargalhada. Actualmente, assume que passa também muito tempo em parques infantis.

Francisco, Adrià e Inês: os vencedores do Prémio de Doutoramento em Ecologia 2019

Já são conhecidos os vencedores da edição 2019 do Prémio de Doutoramento em Ecologia - Fundação Amadeu Dias, organizado pela SPECO - Sociedade Portuguesa de Ecologia. Os três primeiros classificados irão receber o prémio e apresentar o seu trabalho no 18º Encontro Nacional de Ecologia que, este ano, decorre simultaneamente ao 15º Congresso Europeu de Ecologia a realizar de 29 de Julho a 2 de Agosto na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa.

Prémio de Doutoramento em Ecologia 2019

Em 2019, a SPECO continua a lançar o Prémio de Doutoramento em Ecologia 2019, direccionado a recém doutorados. As candidaturas decorreram até 31 de Maio de 2019.

Nesta nova edição, serão atribuídos os montantes de 3000€, 2000€ e 1500€, respectivamente, aos primeiro, segundo e terceiro classificados. À semelhança do ano passado, os prémios serão entregues no 18º Encontro Nacional de Ecologia, que este ano é incluído no 15º Congresso Europeu de Ecologia, a ter lugar de 29 de Julho a 2 de Agosto, na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. 

Dos cetáceos à gestão dinâmica dos oceanos - A entrevista a Marc Fernandéz

 

A entrevista a Marc Fernandéz, 3º classificado no Prémio de Doutoramento em Ecologia Fundação Amadeu Dias, finaliza a série dedicada aos vencedores. Marc realizou o seu doutoramento no cE3c - Centre for Ecology, Evolution and Environmental Changes, tendo estado também associado à plataforma MONICET - As empresas e o público ao serviço do conhecimento e conservação dos cetáceos dos Açores.

Ninguém melhor do que Marc Fernandéz para explicar o seu doutoramento: