A biodiversidade na base dos Serviços dos Ecossistemas e como ferramenta em Ecologia de Ecossistemas

Índice do artigo

Classificação dos Serviços dos Ecossistemas

Segundo o MEA (Millenium Ecosystem Assessment) e o UK National Ecosystem Assessment (2011) há quatro classes de serviços dos ecossistemas: Suporte, Regulação, Provisionamento e Cultural. A iniciativa global focada em valorar os serviços dos ecossistemas segundo um modelo económico (The Economics of Ecosystems and Biodiversity, TEEB) usa classes ligeiramente diferentes. Perante esta disparidade, a União Europeia adotou, recentemente (2012), uma classificação internacional (Common International Classification of Ecosystem Services, CICES) que não pretende substituir nenhuma das anteriores classificações, antes, simplificá-la (Figura 3). Os serviços de suporte foram distribuídos pelos serviços de provisionamento e regulação (CICES, 2013).

Os Serviços de Suporte fornecem a infraestrutura básica da vida. Incluem a produção primária, energia do sol (para produzir compostos orgânicos complexos), formação do solo e reciclagem de água e nutrientes nos ecossistemas terrestres e aquáticos. Todos os outros Serviços de Ecossistemas - regulação, provisionamento e cultural - dependem deles. Os seus impactos no bem-estar humano são indiretos e, na maioria, de longo prazo: a formação de solos, por exemplo, ocorre ao longo de décadas ou séculos. Os Serviços de Suporte são fortemente inter-relacionados entre si e geralmente sustentados por uma vasta gama de fatores físicos, químicos e suas interações.

Os Serviços de Regulação prestados pelos ecossistemas são extremamente diversificados e incluem os impactos da polinização e regulação de pragas e doenças no fornecimento de bens do ecossistema, como alimentos, combustível e fibra. Outros serviços de regulação, incluindo clima e regulação de catástrofes podem funcionar como serviços de ecossistemas finais, ou contribuir significativamente para os serviços finais, tais como a qualidade da água doce disponível. Tal como acontece com os serviços de suporte, os de regulação estão fortemente ligados uns aos outros e aos outros. A regulação da qualidade da água, por exemplo, é determinada, primeiro por processos de captação e depois está ligada a outros serviços de regulação como seja o controlo da qualidade do solo e do ar, a regulação climática, e também aos serviços de suporte, por exemplo a reciclagem de nutrientes.

Os serviços de provisionamento manifestam-se nas mercadorias que se obtêm dos ecossistemas, como alimentos e fibras, combustível sob a forma de turfa, madeira ou biomassa não-lenhosa, e água de rios, lagos e aquíferos. Os bens podem ser extraídos de ecossistemas altamente geridos, como os ecossistemas agrícolas e sistemas de aquicultura e florestas de plantação, ou por meio de captura e de colheita de outros alimentos selvagens, sob a forma de pesca e caça. Os suprimentos de bens do ecossistema são invariavelmente dependentes de muitos serviços de suporte e regulação. Os serviços de provisionamento têm sido, historicamente, um dos principais focos da atividade humana e por isso estão estreitamente ligadas aos serviços culturais.

Os serviços culturais têm origem em locais onde os seres humanos interagem uns com os outros e com a natureza e que dão origem a bens culturais e benefícios. Além das suas características naturais, estes estão imbuídos dos resultados das interações entre sociedades, culturas, tecnologias e ecossistemas ao longo de milénios. Eles compreendem uma enorme variedade de infraestruturas chamadas "verdes" e "azuis", espaços, tais como jardins, parques, rios e lagos, o litoral e as paisagens mais amplas, incluindo paisagens agrícolas e selvagens. Esses locais oferecem oportunidades para muitos tipos de atividades recreativas ao ar livre A exposição a estes espaços pode ter benefícios incluindo satisfação estética e melhorias na saúde e um sentido melhorado de bem-estar espiritual. O envolvimento das pessoas com os cenários ambientais é dinâmico: e os significados, valores e comportamentos mudam ao longo do tempo em resposta a avanços tecnológicos, sociais, políticos e culturais.

 

artrevisao fig3

Figura 3. Comparação dos serviços dos ecossistemas de acordo com o MEA (Millenium Ecosystem Assessment) e o CICES (Common International Classification of Ecosystem Services).